PEÇA DO MÊS

Nº de inventário: 7946 a 7959

 

Os meninos brincam desde muito cedo. Com as suas mãos, com os pés, com a mama da mãe. Crescem e continuam a brincar porque brincar é obrigatório para o harmonioso crescimento físico e mental. Hoje, os meninos brincam sobretudo com os computadores nas suas variadas versões; mas, "no seu tempo", as coisas eram bem diferentes. Havendo menos dinheiro, aumentava a criatividade. E os meninos eram felizes duas vezes com o mesmo brinquedo: quando o construíram e quando o fruíram. As pedrinhas, as palhas de centeio ou do trigo, as cascas das árvores, as tabuinhas caídas por aí. tudo servia para brincar e para brinquedo. Com os meninos mais ricos, porém, as coisas eram diferentes. Como para os meninos da cidade. A maior poder económico das famílias correspondia a oferta de brinquedos vindos da indústria da especialidade. Coisas a que a maioria esmagadora dos meninos da cidade também não saboreavam a possibilidade de encontrar a todo o passo materiais convertíveis em brinquedos: bugalhos, bolotas, carrinhos de linhas, canas, carcódia, florinhas silvestres, botões, meias velhas,...

O servicinho de mesa que hoje divulgamos pertenceu a menina rica que com ele brincou nos anos de 1940. Muito bem conservado, significa talvez que, tendo por onde escolher, não precisava de "sacrificar" nenhum deles. Perdeu-se uma chavininha, não sabemos onde. Por ser brinquedo de menina e de menina de teres, pela sua raridade, ocupa um lugar especial no nosso coração - e na nossa coleção.

Close Menu